=====  V E N D A   D E   B I L H E T E S  =====

- Venda/reserva de bilhetes na receção da Casa das Artes a partir das 09h30 do primeiro dia útil da semana respeitante ao evento; sessões de cinema com venda somente na noite/dia.

- Reservas só por telefone (258520520) e com pagamento via transferência bancária.

- Limite de 4 ingressos por pessoa.

- Abertura da sala 30 minutos antes da hora do evento. 

- Lotação da sala: 226 lugares (espetáculos) e 232 lugares (cinema).

- Lugares marcados;

- Bilhete de cinema: €3,00






FEVEREIRO


MÚSICA

21ª EDIÇÃO FESTIVAL SONS DE VEZ
FEVEREIRO E MARÇO 2023

21 anos volvidos, e após a celebração “poderosa” das suas duas décadas na edição 2022, o Sons retoma emoções, trazendo ao palco da Casa das Artes arcuense um alinhamento de 12 projetos, numa filosofia eclética, mas atenta à História e às novas dinâmicas sonoras, assumindo, sem temores, a responsabilidade de ser o primeiro evento do ano que celebra a música nacional.
A abrir os HMB, com a sua mescla poderosa de soul, rn’b, jazz, funk e hip hop; ainda em fevereiro, a “sereia” Rita Vian, as cordas “loucas” dos The Stick & Rope Band, o hip-hop sui generis dos Classe Crua e os históricos TAXI, com primeira parte dos “italianos” Ardours; março traz consigo o “power” absoluto dos The Black Mamba, as palavras musicadas de Valter Lobo e a portugalidade de Manuel de Oliveira, seguindo alinhamento com o rock visceral dos Dapunksportif, e para encerramento desta edição a dupla de peso composta pelo repetente Frankie Chavez e os 47 de Fevereiro.
Seguindo a tradição do festival, a habitual mostra de registos fotográficos da edição anterior acompanhará os dois meses do Sons. Este ano será igualmente apresentada uma intervenção plástica ao vivo, que homenageará os nomes e projetos que constituíram estes 21 anos do Sons.

























04 de Fevereiro
sábado às 22h00
Auditório da Casa das Artes
HMB
Venda/reserva de bilhetes a partir de 30 de janeiro. Preço único: €10,00.
Inserido na 21ª edição do Sons de Vez 2023.
Já eram amigos e já todos tocavam com outras formações, quando em 2007 resolveram formar os HMB, à margem do projeto que mantinham na Igreja Evangélica. O primeiro disco homónimo foi lançado em 2012 e “Dia D”, o primeiro single, foi quase um sucesso imediato de rádio. Estava apresentada a banda: soul e rn’b, com um toque de jazz, funk e hip hop, sempre em português e com muito groove. As influências eram muito claras com a música negra norte americana à cabeça. 
O segundo disco, “Sente”, de 2014, confirma as expectativas: os HMB não são um fenómeno, mas uma certeza e uma banda preparada para fazer carreira. Neste segundo álbum, exploram sonoridades mais dançáveis e convidam outros artistas para estabelecer novas parcerias criativas: Da Chick, Samuel Úria, Sir Scracth e DJ Ride. Passam os meses seguintes na estrada, pisam os palcos de alguns dos maiores festivais portugueses e a fechar o ano, esgotam o cinema Tivoli em Lisboa. Dois anos mais tarde, protagonizam um dueto improvável com Carminho e daí nasce “ O amor é assim”, uma parceria há muito sonhada mas só agora concretizada e a prova de que na música não existem fronteiras.  





11 de Fevereiro
sábado às 22h00
Auditório da Casa das Artes
RITA VIAN + THE STICK & ROPE BAND
Venda/reserva de bilhetes a partir de 6 de fevereiro. Preço único: €5,00.
Inserido na 21ª edição do Sons de Vez 2023.
Rita Vian trabalha a sua voz e composição num espectro amplo entre a electrónica e a tradição. O fado é um capítulo muito importante na sua expressão artística, assim como a música urbana que representa a outra face desta mesma artista. Um bom exemplo disso é o remix de Branko para o single “Sereia”. Assim como “Purga”, considerado pela plataforma digital TIDAL uma das melhores músicas de 2020, a canção nacional de 2020 pela rádio RADAR e uma das canções portuguesas que salvaram 2020 pelo Observador. Para este espetáculo no Sons de Vez traz-nos, entre outras escolhas de repertório, o seu novo EP CAOS’A, composto por cinco temas e que conta com a produção de Branko.
Da música pop ao fado, à música de raiz mediterrânea e com a matriz presente de ensemble acústico, os The Stick & Rope Band propõe uma experiência musical instrumental, transversal a estilos e linguagens, procurando novos caminhos e uma identidade sonora própria.
Formada por um grupo de velhos amigos, músicos e instrumentistas portugueses com larga experiência em palco, vêm na madeira e nas cordas os dois materiais que sustentam a construção dos cordofones e de todos os instrumentos de cordas com a qual se apresentam ao vivo. Uma proposta, sem dúvida, a descobrir no alinhamento deste ano do Sons.

























































18 de Fevereiro
sábado às 22h00
Auditório da Casa das Artes
CLASSE CRUA
Venda/reserva de bilhetes a partir de 13 de fevereiro. Preço único: €5,00.
Inserido na 21ª edição do Sons de Vez 2023.
A colaboração já era conhecida há algum tempo. Também já se sabia que Sam The Kid é um dos maiores produtores nacionais e que a voz de Beware Jack tinha muito a dar às rimas do hip hop tuga. O que não se sabia era que 2019 era o ano escolhido para finalmente meter cá fora “Classe Crua”, um dos álbuns do ano.
As ideias começaram em 2016, mas antes disso Samuel Mira já era reconhecidamente um dos nomes grandes do hip hop português e Beware Jack fazia o seu caminho, já com 4 álbuns editados. Nesse ano, saiu “Engana” primeira amostra do que com muita calma iria ser feito. Nesse percurso, os dois músicos, resolveram aprimorar trabalho e convidar alguns dos maiores nomes da música lusófona para colaborar no projecto. Chullage, Phoenix RDC, RAPadura, Francisco Rebelo, João Gomes, Silab ou AMAURA tornaram aquilo que já se antevia muito bom, numa das obras de referência dos últimos anos do hip hop nacional.































25 de Fevereiro
sábado às 22h00
Auditório da Casa das Artes
TAXI + ARDOURS
Venda/reserva de bilhetes a partir de 20 de fevereiro. Preço único: €10,00.
Inserido na 21ª edição do Sons de Vez 2023.
Os TAXI nasceram no Porto, em 1979. Absorvendo a influência musical pós-punk, new wave e ska, compunham e interpretavam temas originais cantados em inglês. Dois anos mais tarde, em 1981, foram “descobertos” pela editora Polygram e com esse enconto surge o convite para gravarem um álbum, com a condição de ser cantado integralmente em português. Nascia o primeiro disco de ouro do rock português. Apenas um ano depois, “Cairo”, também ele disco de ouro, vê a luz do dia e os TAXI ganham o estatuto de banda de culto. Hoje em dia, é impossível falar deles sem imediatamente nos virem à cabeça temas como “Chiclete”, “Vida de Cão”, “Lei da Selva”, “Rosete” ou “Cairo”, entre muitos outros que fazem parte do imaginário de milhares de portugueses. 
Os Ardours, que por sua vez terão honras de abertura da noite, são uma banda de rock alternativo formado em 2015 por Mariangela Demurtas, ex-vocalista dos Tristania, e Kris Laurent, que pertenceu aos Cadaveria. Influenciados pelo new wave e pelo revivalismo dos anos 80, trazem na algibeira o álbum de estreia “Last place on Earth”, editado em 2019, e também dois EP’s “Eu4ria EP” e o mais recente “Anatomy of a moment”. 

























































CINEMA


3 e 5
sexta e domingo às 22h00
BABYLON
Drama, Comédia
Realização: Damien Chazelle
Com Diego Calva, Margot Robbie, Brad Pitt, Jean Smart, Tobey Maguire, Li Jun Li, Katherine Waterston.

















































10 e 12
sexta e domingo às 22h00
AMADEO
Histórico, Drama
Realização: Vicente Alves do Ó
Com Rafael Morais, Raquel Rocha Vieira, Ana Lopes, Eunice Muñoz, Rogério Samora..

















































17 e 19
sexta e domingo às 22h00
O FILHO
Drama
Realização: Florian Zeller
Com Hugh Jackman, Zen McGrath, Laura Dern, Vanessa Kirby, Anthony Hopkins, William Hope, George Cobell.















24 e 26
sexta e domingo às 22h00
MAGIC MIKE: A ÚLTIMA DANÇA
Drama, Comédia
Realização: Steven Soderbergh
Com Channing Tatum, Salma Hayek, Caitlin Gerard, Juliette Motamed, Christopher Bencomo, Ellen Marguerite Cullivan.
















































MARÇO


04 de Março
sábado às 22h00
Auditório da Casa das Artes
THE BLACK MAMBA
Venda/reserva de bilhetes a partir de 27 de fevereiro. Preço único: €10,00.
Inserido na 21ª edição do Sons de Vez 2023.
The Black Mamba são uma das bandas portuguesas mais enérgicas, emocionantes e apaixonantes que podemos ver ao vivo. A formação teve início em maio de 2010 e daí começaram a percorrer o universo do blues, soul e funk, adaptando-o ao seu habitat natural, sem nunca mais parar. Dez anos e três álbuns depois, foram convidados a participar do Festival da Canção, promovido pela RTP, vencendo a edição com o tema “Love is on my side”, que acabou por representar Portugal na Eurovisão.
The Black Mamba encontra-se agora a ultimar o quarto álbum de originais que se irá chamar “Last night in Amsterdam”, trabalho inspirado na viagem da banda a Amesterdão e em histórias da vida da cidade nos anos 70, um álbum de soul, funk, rythm e blues, do qual já estão cá fora os temas “Love is on my side”, “Crazy Nando” e “Sweet Amsterdam”. 
































11 de Março
sábado às 22h00
Auditório da Casa das Artes
VALTER LOBO + MANUEL DE OLIVEIRA
Venda/reserva de bilhetes a partir de 11 de março. Preço único: €5,00.
Inserido na 21ª edição do Sons de Vez 2023.
Valter Lobo é um cantautor que se afirmou em 2016 com a edição do seu primeiro álbum, “Mediterrâneo”, assumindo-se cada vez mais como um artista verdadeiramente independente em todas as formas: do pensamento e composição até à forma de comunicar, sem moda ou apropriação estilística. Em 2022 lançou “Primeira Parte de um Assalto”, uma viagem imersiva por canções repletas de emoção. Nestes nove temas, Valter Lobo expõe-se a outro nível e isso sente-se em cada frase, notando-se todo um cuidado em fazer passar mensagens para os ouvintes, com quem mantém uma ligação de extrema proximidade como poderemos comprovar nesta edição do Sons de Vez, onde o autor regressa 10 anos depois.
Na música de Manuel de Oliveira, fronteira, território, comunidade e identidade serão sempre palavras-chave. Se todo o artista procura a forma original de se expressar, em Oliveira, do primeiro “Ibéria” ao mais recente “Entre-Lugar” que servirá de mote a esta apresentação, a música é sempre a tentativa de reconstruir um território e uma identidade, a procura constante por algo sempre inacabado, como uma comunidade ou uma voz. Nessa constante metamorfose existencial, enquanto guitarrista, compositor e produtor, tem-nos revelado, ao longo de mais de 20 anos, uma obra de identidade singular, imediatamente reconhecível na sua constante mutação.
























































18 de Março
sábado às 22h00
Auditório da Casa das Artes
DAPUNKSPORTIF
Venda/reserva de bilhetes a partir de 13 de março. Preço único: €5,00.
Inserido na 21ª edição do Sons de Vez 2023.
O eterno retorno que nos assola os dias faz-nos rodopiar numa espiral de contradições onde o coração se opõe à mente e o ritmo à nossa volta não consegue acompanhar o que nos guia interiormente. “Old, New, Fast’n’Slow”, nome que dá título ao último trabalho de originais dos Dapunksportif é o confronto que temos diariamente com o mundo à nossa volta e com todas essas dicotomias. É a banda sonora que nos abana e personifica instrumentalmente as questões que vamos criando. São 10 canções que transpiram rock’n’roll, onde os riffs das guitarras abraçam o calor do baixo, as teclas criam a ambiência aconchegante e dançante e a bateria nos vai guiando pelo caminho. São 10 canções fortes que abordam temas atuais, constantes e preocupantes e que ficam a ressoar no ouvido em loop, tal como esta espiral diária para onde somos sugados. “Old, New, Fast’n’Slow”, o quinto da carreira da banda, conta com Paulo Franco (voz e guitarra rítmica e baixo), João Guincho (voz, guitarra e baixo), Fred Ferreira (bateria, teclas), Vicente Santos (teclas) e Filipe Brito (baixo) e com a participação especial de Cabrita (saxofone) na música “Raw & Vulnerable”. 






























25 de Março
sábado às 22h00
Auditório da Casa das Artes
FRANKIE CHAVEZ + 47 DE FEVEREIRO
Venda/reserva de bilhetes a partir de 20 de março. Preço único: €5,00.
Inserido na 21ª edição do Sons de Vez 2023.
A música de Frankie Chavez conjuga diferentes tipos de sonoridades, um Blues/Folk composto por ambientes limpos e outros mais crus, difícil de catalogar num só termo. Na sua já extensa carreira, conta com três álbuns editados: a estreia em 2011 com “Family Tree” depois de um primeiro lançamento de EP, “Hearts and Spine” de 2014 que lhe viria a abrir as portas à internacionalização e, ainda, “Double or Nothing” editado em 2017 “um álbum de histórias que vão desde a perda ao nascimento, de andar na estrada, ao tempo que perdemos em coisas fúteis. Fala também de amor e de relações impossíveis. E fala de atentados terroristas e de privação de liberdade.” 
Oriundos da cidade do Porto, 47 de Fevereiro expressa a visão de jogo que emana dos seus elementos titulares, sem filtros ou condicionalismos, rematando e driblando palavras e acordes sob a forma de Rock'n'Roll com uma marcada analogia conceptual constante ao mundo do futebol clássico. Nascidos das cinzas dos Touro, mítica banda do underground portuense, a máquina de Rock'n'Roll começou a ser montada em finais de 2013, afinada durante 2 anos e em dezembro de 2015 acontece a primeira apresentação ao público dos 47 de Fevereiro. Hoje, já com 2 álbuns editados, sobem ao palco do Sons de Vez com honras de fecho desta 21ª Edição.