ABRIL





EXPOSIÇÃO TEMÁTICA:

26 de Abril a 1 de Junho
"25 DE ABRIL 40 ANOS – CANÇÕES DA LIBERDADE"
Museu da Imprensa da Porto
Foyer do Auditório da Casa das Artes
Trata-se de uma mostra inédita que junta mais de cem discos em vinil de 33 e 45 rotações, editados no antes e durante o período revolucionário do “pós 25 de Abril” de 1974, e cujas capas evidenciam diferentes qualidades gráficas ao nível do arranjo e da diversidade de meios de impressão. Inclui alguns dos mais importantes cantores nacionais como José Afonso, Fausto, Fernando Tordo, Paulo de Carvalho e Sérgio Godinho, entre outros. São apresentados processos movidos contra músicas e letras de canções ou fados de artistas diversos e ainda cartazes de alguns espetáculos. Da mostra faz parte uma aplicação multimédia onde se podem escutar as canções principais deste período.




















MÚSICA:

26 de Abril
sábado às 22h00
“OUTRA VEZ ABRIL”
Auditório da Casa das Artes
ENTRADA GRATUITA
Este projeto musical/performativo arcuense junta no mesmo palco o músico Miguel Fernandes (Voz e Guitarras), acompanhado por Rui Dantas (Baixo), Carlos Pinto (Saxofones), Danny Pacheco (Piano), David Silva (Acordeão) e Miguel Fernandes (Bateria), e os jovens músicos locais coordenados pela professora Maria do Céu Sousa, num evento de inigualável originalidade e de sentida homenagem aos 40 anos do 25 de Abril. 



PERFORMANCE DE DANÇA CONTEMPORÂNEA:

28 de Abril
segunda às 22h00
COMEMORAÇÕES DO DIA MUNDIAL DA DANÇA 2014
“GOD&2DICES”
Casa das Artes
ENTRADA GRATUITA
Entre o incontável número de pessoas que passeiam neste mundo, somos apenas mais uma. Mas não vivemos insociavelmente, há algo que nos liga ao outro: uma decisão, um fio, um tropeçar na rua, um destino. Esta pequena e simples linha é a condutora para todo o caos que se instala na vida de cada um.
Este solo reflecte esta perspectiva de viver, isto é, este “algo” - seja um deus, o Universo, o destino, nós mesmos - que nos controla, de uma forma consciente ou não.
Co-produção: Municipio/Casa da Artes de Arcos de Valdevez e Movimento Incriativo.






















CINEMA:


25 e 27
sexta e domingo às 22h00
NOÉ
Género: Drama, histórico
Realização: Darren Aronofsky
Com: Russell Crowe, Jennifer Connelly, Ray Winstone



27
domingo às 15h00
RIO 2 (3D)
Género: Animação
Realização: Carlos Saldanha
VERSÃO DOBRADA EM PORTUGUÊS
ENTRADA GRATUITA PARA CRIANÇAS ATÉ AOS 12 ANOS (INCLUSIVE)
Vozes de: Luciano Amarelo, Joana Carvalho, Ana Madureira, Pedro Frias, FF Fernando Fernandes e Carolina Torres





MAIO



TEATRO/CICLO:

2 de Maio
sexta às 22h00.
UM DIA EU VI A LUA
Companhia de Teatro da Cidade (Brasil)
Inserido na 7ª edição do Ciclo de Teatro Brasileiro de Arcos de Valdevez
Auditório da Casa das Artes
A montagem de Um Dia Ouvi a Lua propõe a coesão entre as raízes culturais, fruto das experiências vividas pelo grupo e a pesquisa na dramaticidade da linguagem e composição para construção dessa obra teatral. A linguagem utilizada é fruto de uma pesquisa que o grupo realiza desde 2000: o teatro Narrativo/Lírico, Teatro “Nô” japonês e a linguagem popular brasileira. O espetáculo é resultado de processo colaborativo entre dramaturgia, direção e criação de atores. As histórias são contadas e vivenciadas ora por atores/narradores, ora por personagens/narradores. As canções que inspiraram as narrativas do espetáculo, também são interpretadas ao vivo pelos próprios atores. Os fios que tecem as histórias, de dramas e conflitos, são regidos por brincadeira de crianças que fazem parte da cultura identitária brasileira, principalmente envolta ao universo caipira do Vale do Paraíba. A simplicidade poética proposta na dramaturgia e na direção valorizou a performance dos atores e criou uma dialética entre narrativas e cenas, o que tornou o espetáculo uma partitura musical. As canções populares da região, e os diversos ritmos presentes em festas tradicionais, como a Folia de Reis, foram reveladas e trabalhados na direção musical e nos arranjos desenvolvidos para o espetáculo. Os figurinos e adereços foram criados a partir de referências da cultura caipira do Vale do Paraíba, como as tradicionais “figureiras” da região. Já para a conceção de cenário a busca pela “organicidade” e pela originalidade se deu através do aproveitamento de elementos da cidade, como bambus, cipós e folhas secas de palmeiras exóticas, da espécie Latania, presente em diversos pontos públicos da região e o grande paisagem natural presente no Vale do Paraíba.















MÚSICA/ POP ROCK:

3 de Maio
sábado às 22h00
JOÃO PEDRO PAIS
“IMPROVISO”
Auditório da Casa das Artes
“Improviso” é o concerto intimista de João Pedro Pais, um espectáculo em que as suas canções são abordadas de uma forma simples, perto da essência, passando em revista parte significativa da sua carreira, incluindo o seu mais recente “Desassossego”, de 2012, composto por 10 canções, e onde os temas “Havemos de Lá Chegar” e “Estás à espera de Quê” são inevitáveis referências.
Neste regresso ao palco da Casa das Artes arcuense, João Pedro Pais partilha espaço com alguns dos músicos que o têm acompanhado nos últimos anos e com quem preparou especialmente este espectáculo: Rui Almeida, piano e teclas, e Sérgio Mendes (guitarras).
Um momento de proximidade e emoção a não perder!




















TEATRO/CICLO:

8 de Maio
quinta às 10h00 e às 13h00
(para público escolar)
“QUE PALHAÇADA!”
Companhia Cênica FARÂNDOLA TROUPE (Brasil)
Inserido na 7ª edição do Ciclo de Teatro Brasileiro de Arcos de Valdevez
Auditório da Casa das Artes
O espetáculo, fruto de um estudo das duplas de palhaços brasileiros de picadeiro, reúne as mais tradicionais reprises (cenas curtas circenses) que, costuradas entre si, formam o roteiro: “Que Palhaçada!”. Maçaneta e Gororoba têm como única missão o fazer rir. Utilizando truques de mágica e malabares, acrescentando música e juntando com a ingenuidade do palhaço, a dupla conduz o público a momentos de alegria e inocência atingindo desde a criança até o adulto, unindo todos a um só objetivo: ser feliz.
A Companhia Cênica FARÂNDOLA TROUPE nasce em agosto de 1993 com a proposta de transformar o espaço público em palco, ocupando, com os seus trabalhos artísticos, ruas, praças, pátios, parques e espaços alternativos. Sair do edifício teatral fechado e ir ao encontro do público onde quer que ele esteja.
O nome “farândola” é uma homenagem a um grupo de saltimbancos da Idade Média que, dentre outras peculiaridades, foi o primeiro a contar com mulheres no papel de palhaços, atribuição exclusiva do sexo masculino até então.
Com vinte anos de existência, a Farândola Troupe tem realizado um trabalho artístico voltado para a comunidades: a Arte do Encontro.


















TEATRO/MÚSICA:

9 de Maio
sexta às 22h00
“POEMA BAR”
com Alexandre Borges (Brasil)
Auditório da Casa das Artes
Sob a égide de Vinicius de Moraes e Fernando Pessoa, “Poema Bar” celebra a poesia e a música de Portugal e Brasil. Ao som das harmonias brasileiras e portuguesas, algumas das mais belas palavras destes poetas são ditas pela voz do ator brasileiro Alexandre Borges, conhecido dos portugueses pelos inúmeros papéis em televisão, acompanhado pelo piano de João Vasco e com a participação de uma cantora convidada que, neste caso, será a portuguesa Sofia Vitória.
“Poema Bar” foi apresentado pela primeira vez em Julho de 2011 na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, e posteriormente no Brasil, Alemanha e de novo em Portugal, tendo o sucesso destas atuações garantido o regresso do espetáculo a outras cidades destes países.
“Poema Bar” abraça a cultura, vivências e afetos destes povos irmãos, provando que, afinal, o mar nos une mais do que nos separa.




















TEATRO:

23 de Maio
sexta às 22h00
ABRIL 2014: 40 ANOS DE UMA REVOLUÇÃO
Companhia AtrapalhArte (Coimbra)
Auditório da Casa das Artes
No ano em que se celebram 40 anos da Revolução dos Cravos propomos um espectáculo sobre esse acontecimento que mudou de forma irreversível a história do nosso país. 40 anos volvidos sobre o derrube do regime ditatorial revisitamos passo a passo a construção da liberdade e as suas  consequências no nosso quotidiano e nas nossas vidas.
O imaginário de Abril encerra em si um enorme potencial coreográfico e teatral que vamos explorar artisticamente ao mesmo tempo que partilhamos com o público os grandes acontecimentos que deram lugar à revolta. A guerra colonial, a polícia política, o lápis azul da censura, etc., serão transportados para o palco pelos corpos e vozes dos actores que vão celebrar também a esperança e alegria trazida naquela manhã de Abril.

Este projecto não pretende ser uma aula de história, pretende antes ser uma abordagem diferente a uma temática que já faz parte da nossa história e dar instrumentos e informações que posteriormente podem ser desenvolvidos em contexto de sala de aula. 




MÚSICA/ POP ROCK:

30 de Maio
sexta às 22h30
DEOLINDA
Auditório da Casa das Artes
O projecto musical surgiu em 2006, quando os irmãos Pedro da Silva Martins e Luís José Martins (ex-Bicho de 7 Cabeças) convidaram a prima, Ana Bacalhau, então vocalista dos Lupanar, para cantar quatro canções que tinham escrito. Após perceberem que a voz da prima se adequava na perfeição às rimas e melodias por eles criadas, convidaram também José Pedro Leitão, contrabaixista dos Lupanar (actual marido de Ana Bacalhau), para se juntar aos três, nascendo assim os Deolinda.
Nos últimos 4 anos dominaram os tops de vendas com os multiplatinados “Canção ao Lado” e “2 Selos e um Carimbo”, acumulando diversas distinções tais como 2 “Globos de Ouro”, um prémio “Amália Rodrigues”, um Prémio José Afonso e um Songlines Music Award. 
Os Deolinda regressam, cinco anos depois, à Casa das Artes de Arcos de Valdevez para apresentar as suas melhores melodias de sempre e sobretudo as do novo trabalho “Mundo Pequenino”. 
Sejam bem-vindos!
























CINEMA/MOSTRA:

17 de Maio
sábado às 15h00
"AS SERVIÇAIS"
Inserido na Mostra de Cinema “Ser Mulher…”-
Auditório da Casa das Artes
ENTRADA GRATUITA
A Delegação de Arcos de Valdevez da Cruz Vermelha Portuguesa, no âmbito do projeto “Dar voz ao Silêncio II” e em parceria com a Casa das Artes concelhia, organiza a mostra de cinema “Ser Mulher…”. Esta iniciativa surge na sequência das atividades realizadas na comemoração do “Dia Internacional da Mulher” e pretende ser um tributo às mulheres. As que amam, que sofrem, que cuidam, e que lutam pelo seu lugar nas relações, na família, no trabalho e na sociedade. São mulheres que se debatem num mundo que mais parece feito só para homens, onde o único espaço que possuem foi aquele que conquistaram. Esta é uma mostra de cinema dedicada a todas as mulheres e à igualdade entre ambos os géneros.
















OUTRAS ATIVIDADES/CONCURSO DE NOVOS TALENTOS

10 e 11 de Maio
Auditório da Casa das Artes
CONCURSO MINI JOVENS TALENTOS E CONCURSO JOVENS TALENTOS 2014
Organização da Associação Social Recreativa Juventude de Vila Fonche/Juventude
dia 10 - sábado às 22h00 - JOVENS TALENTOS
dia 11 - domingo às 15h00 - MINI JOVENS TALENTOS


ATIVIDADES NA BIBLIOTECA MUNICIPAL:

3, 7 e 31 de Maio
Horário: 16h00
Espaço Infantil da Biblioteca Municipal/Casa das Artes
CONTAS TU…OU CONTO EU? 
Contos e atividades para crianças
Aos Sábados, uma história nova para contar e recontar, sempre com novas abordagens e personagens...